Salut Yuri!

Meu novo teto.

Acordei no trem TGV e era o meu quarto ou quinto cochilo do dia. Lembrei da chegada do veiculo, da prestativa fiscal me dando as informações do trem e de entrar chamando muita atenção. Com minha grande mala, minha mochila de trekking, minha mochila pequena e meu violão. Passei pelo vagão como num filme de comédia do cinema mudo sendo ajudado por alguns bons franceses. Falando neles: até esse momento posso dizer que todos(os locais) foram muito solícitos e prestativos fugindo a fama. No trem confortável olhava a paisagem campestre de final de verão. O TGV passa por um túnel e na saída eis que vejo um belo arco-íris. Lindo, completo e bem colorido. Aceitei isso como um “salut” europeu e claro agradeci a recepção technicolor… Outro cochilo e dessa vez ia descer. Mais uma luta com minhas malas e desci em Aubrais. Já estava perto do meu próximo lar e novamente um fiscal muito simpático me mostrou onde pegava o próximo veiculo. Quando vi o trem quase chorei, era quase 4 degraus de escada para subir de uma vez com minhas malas. Literalmente joguei-as a dentro, entrei e sentei suando na cadeira. Uma simpática madame foi conversando curiosa comigo e me falou bem da polytech. Cheguei a estação toda de vidro e vi meus colegas. Comprimentei curioso e excitado Joel e Gregoire: Os franceses que dividirão um apartamento comigo. Eles também aparentemente simpáticos, curiosos e muito educados. Andamos ao carro(boa surpresa) e fomos de ford fiesta pela cidade. Transito leve as 21:00 e eu não sabia onde olhar primeiro. O papo meio mecânico na ansiedade dos três quererem se conhecer. Descemos na rua urbana de arquitetura não-moderna e entramos no estacionamento do condomínio subterrâneo e extremamente limpo. Mostraram-me o apartamento, cozinha e meu quarto. Tudo novinho, razoavelmente organizado e grande para estudantes universitarios. Mal parei de babar pelo quarto e fomos até a sala onde os outros me esperavam. Uns 13 franceses sorridentes falavam ao mesmo tempo comigo de modo que apenas sorria e falava umas besteiras em ingles. Comprimentei um por um e curti a festinha pela minha chegada. Descrever o resto é perda de tempo e um processo desnecessário. Foi como no Brasil, mas em inglês e francês. Bebidinhas, conversas, piadas, historias da França, do Brasil, violão dividido entre dois novos colegas e eu. Pizza para matar a fome, mais de tudo e quando vi ja caia na cama exausto pelo dia bastante agitado e divertido. E no final, tudo deu certo! Orleans, França!

Greg, moi, Julian et Joel.

Anúncios

Sobre Yuri Mota

Sou Yuri Mota, carioca, estudante de engenharia, mochileiro, amante da boa música,de violão, canto e também amante de robôs e automobilismo. Amo a vida, me considero um privilegiado e gosto de tantas coisas que é difícil resumir aqui. o blog é sobre minhas viagens, minhas impressões e idéias sobre tudo que acontece ou não. Dando uma atenção especial ao estilo de viajar mochileiro, a reflexão sobre o comportamento humano e a pratica de trekking. É isso, leia e comente, por favor.
Esse post foi publicado em Estrada, França. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Salut Yuri!

  1. Rose disse:

    Que Quarteto!!!!

  2. Adriana disse:

    Seus amigos parecem ser simpáticos. Diga-lhes que cuidem bem de você e terão várias estádias quando quiserem passear aqui no Rio de Janeiro!!!

    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s