Virando a Página

Grupo Original... Faltou a Li.

Reflexão

A leitura de um livro sempre nos trás algo e por vezes algo forte e edificante. Estou aqui refletindo sobre o milagre da criação, sobre o amor, a grandeza da humildade e da fé.

Diante dos pertences vejo meu all star e lembro por todos os lugares que estive com ele, de quando ele ainda estava limpo e de como eu o adoro por poder usar em qualquer ocasião de jogar futebol em lima, subir no chão de borracha do bondinho, andar pelas ruas sujas da lapa a futuramente descer no Charles de Gaulle.

Visualizo meu amplificador e violão lembrando de quantas pessoas ele me ajudou a penetrar seja em corpo ou mente. Ajudando a quebrar barreiras e facilitar o contato tão prazeroso.

Penso em mamãe no quarto e é impossível não me emocionar com o seu amor tão incondicional e intenso. Aquele amor maternal que consegue ter a melhor mistura material e espiritual. E nos meus pais com uma coisa só, como base de tudo.

Olhando aos céus penso-sinto Deus. Na sua misericórdia. Sem julgamentos ou qualquer vínculo intencionalmente religioso, filosófico ou qualquer crença externa. É simples, humilde e natural. Meu pensamento decodificado ao máximo para ser primitivo.

O FIM DO PRIMEIRO MOCHILÃO

Findo aqui uma história de três países preciosos – BOLÍVIA, CHILE E PERU. A experiência adquirida foi algo muito além das expectativas e diante disso não me sinto ainda com maturidade a ter conclusões sobre a viagem. Preciso, mais do nunca, de mais. Aprendi que todo homem deveria ter oportunidade de fazer isso. Mas viajar simples, em contato com natureza e principalmente buscando viver como e/ou com os locais. Em fim como mochileiro. E não ver isso como um luxo e sim como uma necessidade moral, espiritual, um pouco material e bastante profissional. Como um grande e maravilhoso investimento.

E longe de ser o fim, começo uma nova viagem e já possuo outra também em mente. Chegou a ora de desfrutar do velho mundo, porém isso fica para o próximo post.

Aos que leram muitos posts, os que leram poucas linhas e aos que apenas olharam as fotos(não vão ler isso, rs), meus sinceros e carinhosos beijos e abraços.

À bientôt!

Anúncios

Sobre Yuri Mota

Sou Yuri Mota, carioca, estudante de engenharia, mochileiro, amante da boa música,de violão, canto e também amante de robôs e automobilismo. Amo a vida, me considero um privilegiado e gosto de tantas coisas que é difícil resumir aqui. o blog é sobre minhas viagens, minhas impressões e idéias sobre tudo que acontece ou não. Dando uma atenção especial ao estilo de viajar mochileiro, a reflexão sobre o comportamento humano e a pratica de trekking. É isso, leia e comente, por favor.
Esse post foi publicado em Enrolando(random), Mochilar. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s