ESTRADA – PERU – PUNO – ILHAS FLUTUANTES – COPACABANA – BOLÍVIA


(…) Chegamos a estação de Cuzco faltando 5 min para sair o ônibus. Lá nos despedimos de dois amigos da viagem, Marco e Caroline, que voltariam para os seus trabalhos no Brasil. Foi bem emocionante. Era a primeira vez que alguém que estava desde o ínicio ia embora. A despedida ainda não tinha me afetado nesse momento e minha ficha foi cair só em La Paz.
(…) Bom ônibus, 35 soles Cuzco – Puno. Viagem tranqüila na qual passei a maior parte do tempo conversando com o chapecoense Diego. Lembro dele sempre chamando os amigos de bitches, do jeito dele falar apaixonado, ansioso e de suas atitudes cheias de vontade. Recordo sempre do Gustavo sacaneando ele por ele gostar de lavar roupa. Passamos a noite falando das mulheres da viagem e de como a relação hxm pode ser algo polêmico e confuso.
(…) Chegada em Puno, dormimos um pouco até clarear no ônibus e depois negociamos logo com um simpático senhor o passeio as ilhas flutuantes e as passagens para Copacabana enquanto tomávamos café. No final fechamos um pacote bem barato. Algo como 20 ou 25 soles por tudo.
(…) O passeio as Ilhas Flutuantes foi bem legal. Navegar pelo Titicaca por si só já é uma sensação única e ver como os povos indígenas constroem tribos ali na palha é impressionante. As ilhas são feitas de bambu, um tipo de palha, raízes e terra do rio. Duram alguns anos e enquanto uma vai perdendo a validade outra é construída. O povo lá fala Quéchua e alguns espanhol. Há mais de 100 ilhas pequenas e cada uma é independente apesar da forte comunidade que existe juntando todas. Somos recebidos com alegria, cantoria, apresentação da cultura deles e passeio de barco.
(…) Puno estava tendo uma festa típica deles com bandas disputando um prêmio de fantasias, dança e música(interessante). No almoço tentaram nos enganar como em muitos momentos da viagem. Aumentando o preço e forçando uma barra para que nós turistas otários pagássemos. É claro que não paguei e fui embora.(Lembre sempre de deixar combinado tudo certinho e falar pelo menos 3 vezes com o Hermano que pensa que é esperto).
(…) Eu, Diego e Gustavo Alpaca alugamos um barco e remamos pelas ilhas. No começo parecíamos uns retardados(sotaque do marco) girando com o barco sem sair do lugar, mas depois pegamos o jeito e até brincamos com ele. (medonho como o barco é instável)
(…) Ida tranqüila a Bolívia. Passando pela fronteira novamente. Cholas suspeitas cambiando dólar. Bastante gente na rua. Passaporte, certificado de vacinação FB, carimbo e gracias señor.
(…) Chegada em Copacabana já anoitecendo. Enquanto uma parte do grupo negociava o passeio a Isla Del Sol outro foi procurar um hostel. Achamos um perto da praça principal e fechamos por 13 bolivianos. O passeio fechamos por 15 e 20 soles.

Gustavo e a Bitch Alpaca Diego.

Anúncios

Sobre Yuri Mota

Sou Yuri Mota, carioca, estudante de engenharia, mochileiro, amante da boa música,de violão, canto e também amante de robôs e automobilismo. Amo a vida, me considero um privilegiado e gosto de tantas coisas que é difícil resumir aqui. o blog é sobre minhas viagens, minhas impressões e idéias sobre tudo que acontece ou não. Dando uma atenção especial ao estilo de viajar mochileiro, a reflexão sobre o comportamento humano e a pratica de trekking. É isso, leia e comente, por favor.
Esse post foi publicado em Bolívia, Estrada, Peru. Bookmark o link permanente.

5 respostas para ESTRADA – PERU – PUNO – ILHAS FLUTUANTES – COPACABANA – BOLÍVIA

  1. Igor Coelho disse:

    Olá.
    Eu comecei a ler o seu blog hoje e achei muito legal, tanto a viagem em si quato a iniciativa de blogar tudo. Vou divulgar o Blog pra muita gente, pode deixar. Só estou com uma dúvida, não li o blog todo ainda. No início você falou que seriam 45 dias, Yuri. O que levou vocês a mudarem a programação?

    • Yuri Mota disse:

      Muito obrigado por ler o blog e gostar. A divulgação é sempre bem vinda hehehe.
      Então tenho duas respostas para você
      primeiro eu havia programado no roteiro original 30 dias porque seria o tempo que eu viajaria com todo o grupo, depois disso a maioria iria voltar para a casa e eu seguiria com o que sobrasse ou sozinho. Então depois dos 30 dias eu não tinha nada muito programado e 45 dias foi um chute, pois acabei ficando dois meses.

      Segundo se vc continuar lendo o blog vai perceber que a viagem as américas é algo louco e imprevisível. A maioria das coisas que programei saiu do plano original. Eu quase peguei o terremoto do chile, eu peguei a inundação de machu pichu, a greve de arequipa, varios atrasos de ônibus e etc. Então minha idéia de viajar pelas américas hoje em dia é resumidamente escolher as cidades, estudar um pouco dos costumes e ir sem plano definido. Pode acontecer de vc querer ficar ou querer ir embora mais cedo e a sensação de liberdade é incrível. Ai cada um vai descobrindo viajando e mochilando.
      Espero ter respondido. Suerte Tchê!

      • Carla Cabral disse:

        Olá Yuri.
        Estou indo em janeiro fazer uma viagem de dois meses peru-bolívia.
        Gostaria de saber uma média de seus gastos para eu me programar.
        E outra coisa: os locais de dormida você encontrava quando chegava ao local?
        Abraços
        Carla

      • Yuri Mota disse:

        Oi… gastei 1500 dolares sem contar a passagem de volta de aviao que foi paga com milhas
        fiquei dois meses.
        o primeiro mes controlei melhor meus gastos e fiz bolivia, chile e peru com 1000 dolares: E gastei pacas com besteiras como boates, bebidas e etc… além de ter feito varios passeios extras do programado.
        O que quero dizer? é bem barato e se vc viajar como mochileira vai poder fazer muitas coisas.
        A unica coisa cara é a passagem.
        Se quiser mando minha planilha antes da viagem por email, mas acho perda de tempo. Sou cuidado por natureza e digo: “é impossivel viajar tranquilo e se divertindo pro esses paises e ser rigido com a programação. Os perrengues sao inevitaveis.”
        Tirando um ou outro lugar sempre escolhia o acomodação quando chegava na cidade, diferente do brasil em cada canto que vc passar tem muita opção de albuergue. Tem os mais famosos Loki, the point e etc que sao mais do tipo playboy e é bom que tem festas sempre, tem os bons mas que normalmente sao calmos e baratos E tem os hiper pobres que sao ridiculos de barato mais luxo zero(tem hotel tb, mas isso usar essa palavra no meu blog é algo muito negativo) rs.
        espero ter ajudado e qualquer coisa pergunte mais
        boa viagem

  2. Carla Cabral disse:

    Obrigada pela resposta Yuri. Me ajudou sim. Eu quero apenas ter uma idéia geral do meu gasto. Pretendo fazer uma viagem de dois meses pelo Pereu e Bolívia, do tipo mochileira mesmo.
    Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s