CORUMBÁ E PUERTO QUIJARRO

DIA 2 A 5 DE JANEIRO – CORUMBA(TERRA DO FOGO)

Em alguns momentos de estudo e trabalho no Rio de Janeiro eu pensei “ Meu Deus, existe lugar nesse mundo mais quente que esse?” e cheguei a conclusão que sim, existem dois lugares: Corumbá e Puerto Quijarro. Só um palavrão definiria bem meu sentimento diante da inquietação corporal proveniente da elevada temperatura e umidade estranha. Pelo o hostel tinha piscina e era razoávelmente confortavel. O resto foi um tanto superficial e rápido, então vão uns pitacos:

– Corumbá é uma cidade legal, pequena e organizada. Porém se quiserem comprar algo é preciso fazer cedo, pois tudo fecha cedo, principalmente final de semana;

– Se alguém chegar em Corumbá sem a carteira de vacinação internacional, existe um posto para obter ambos, de fácil acesso e bom serviço. A carteira de vacinação é indispensável para quem fizer essa viagem, pois fomos cobrados em todas as fronteiras em que passamos e vimos um colega nosso tendo que pagar propina porque não possuia tal documento. Sem contar que, se eles exigem a vacinação, é porque o perigo de contágio é real;

– Piscina num hostel é diversão certa, tente um dia;

– É muito melhor procurar hostel na Bolívia, existem bons hosteis por lá e a diferença de preço é surpreendente. Não se assustem com a cidade e se quiserem usem as minha indicações quando eu falar sobre Puerto Quijarro;

– Don’t fuck your trip because of some selfish people;

– Começo de viagem. Tudo é festa. Tudo é nada. E tudo é ilusão.

Gastos:

Hostel: R$ 30,00 (28,00 por ter ido em grupo grande)              http://www.corumbahostel.com.br/

Comida: R$ 25,00

PUERTO QUIJARRO(THIS IS BOLIVIA)

Apesar da excitação imensa por chegar ao nosso primeiro país da trip, Puerto Quijarro é uma cidade paupérrima, suja, super-quente e de povo um tanto esquisito. O bom de lá é o preço barato das coisas e a estação ferroviária do trem da morte. Então basicamente o melhor é chegar na cidade comprar a passagem para o trem, fazer algumas compras no mercado popular(ótimos preços) e partir.

Tentamos fazer isso, no entanto descobrimos que na Bolivia o estrangeiro é por vezes deixado em segundo plano. Tentamos comprar a passagem do Trem da Morte para o dia 3, mas a informação era que não havia mais. Então foi uma correria: uma parte do grupo foi ver os ônibus e outra pegou uma informação sobre um modo de entrar clandestino no trem. Tudo isso de forma desordenada, e no final optamos por tentar entrar clandestino no outro dia. Voltamos para o hostel e o pessoal até levou tudo na esportiva e foi mais um dia ótimo na piscina com concurso de saltos. O prêmio gazela saltitante foi para o Cris(grande gazela).

Quando chegamos no outro dia, esperamos e na hora de entrar fomos impedidos pela segurança e o funcionário que queria nos vender as passagens ilegais fingiu que não nos conhecia. Enfim, não conseguimos por mais um dia entrar no trem. Correria geral para os ônibus e quando chegamos já estava tudo lotado, só havia vans pequenas, caras e estranhas. Então caos. O grupo experimentou o primeiro momento discussão interna. Uns queriam tentar pegar o trem nas próximas estações, outros pegar a van cara, outros comprar as passagens do trem de um fonte segura porém pelo dobro do preço. O grupo por pouco não se dividiu mas depois de um pouco de gritaria, grosserias e conversa decidimos comprar as passagens da fonte segura. Essa fonte eu já havia tido conhecimento no Rio de janeiro e até pensei em comprar com antecedência. Mas todas, todas as pessoas que já havia falado me indicaram comprar na hora. Toda essa experiência foi bem desagradável e eu aconselho comprar com antecedência pela internet mesmo. Compramos e pegamos o trem no outro dia. Durante a nossa correria descobrimos que bolivianos conseguem comprar passagem qualquer dia na estação e por tudo que vi na Bolívia isso é bastante provável. Parece que  no geral o povo é ignorante e muitos querem o dinheiro vindo do turismo a qualquer custo.

Durante esse período conhecemos a feira popular de Puerto e as coisas lá são realmente baratas, vale apena uma visita. Eu vi, por exemplo, luvas corta-vento por aproximadamente R$ 6,00. Outros destaque é o taxi por praticamente R$ 1,00. São quatro bolivianos até a estação.

Outra coisa barata são os hosteis. Metade do grupo ficou num hostel por R$ 5,00. Nós apelidamos carinhosamente de vila do Chávez. Era um lugar bem simples e tosco. Uma pequena vila. A outra parte do grupo ficou no hostel internacional por R$ 20,00. Esse hostel acho que foi o melhor que ficamos em toda viagem com uma grande piscina e uma bonita vista.

Gastos:

Hostel: R$ 5,00            cochabamba hostel(vila do chavez)  o outro hostel é o hostel internacional de puerto quijarro 20 reais.

Comida: R$ 5,00

Anúncios

Sobre Yuri Mota

Sou Yuri Mota, carioca, estudante de engenharia, mochileiro, amante da boa música,de violão, canto e também amante de robôs e automobilismo. Amo a vida, me considero um privilegiado e gosto de tantas coisas que é difícil resumir aqui. o blog é sobre minhas viagens, minhas impressões e idéias sobre tudo que acontece ou não. Dando uma atenção especial ao estilo de viajar mochileiro, a reflexão sobre o comportamento humano e a pratica de trekking. É isso, leia e comente, por favor.
Esse post foi publicado em Bolívia. Bookmark o link permanente.

8 respostas para CORUMBÁ E PUERTO QUIJARRO

  1. Brigida disse:

    Você conseguiu pegar o trem sem aquela coisa da vacina, então! Como faz…

  2. TV Canal 7 disse:

    Po, bem legal viajar para esses lugares. Vou fazer um passeio agora nas férias. Pretendo ir à Bolivia e ao Chile.

  3. Leandro disse:

    Aonde fica este Hotel Internacional de Puerto Quijajo. Fica distante da estação ?

  4. carla arrueta disse:

    Gente não precisa de vacina pra entrar não e o trem não é da morte assim como no Brasil a gente tem os baus clandestinos super lotação la também tem o trem que custa 45 bolivianos ou seja 13,14 reais isso é da 2 classe sabe dos pobres e que não tem pra pagar o chão umas epocas pra tras era todo furadinho hj ja arrumaram , opção pegar o expresso oriental que é super pullman não é caro ou o ferrobus que tb n é caro e ainda é cama, onibus pra quem tem estomago por causa do cheiro e gosta de poeira pq não tem ar condicionado e so poerão!!!!! Mais a viagem vale a pena é super gostosa agradavel e as cidades são lindas.!!!!

    • Yuri Mota disse:

      Precisa de vacina sim, meu amigo pagou propina pq não tinha vacina. Existe esse trem mais barato sim, mas estrangeiros normalmente não tem acesso a eles. O trem não vale a pena pq é dificil comprar o ticket na hora… Tem que ser local ou comprar na mão de terceiros. Ae vc perde dias de viagem lá na confusão.
      Quanto ao ferrobus, não tinha nos dois dias que fiquei lá.
      Vou tirar sua propaganda.

  5. elisa disse:

    Oi Yuri! Nao consegui encontrar esse hostel cochabamba aqui na internet, você pode me ajudar? Obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s